Jornal Com Distribuição Mensal nas Zonas Norte (Tijuca - Vila Isabel - Grajaú - Andaraí) e Sul (Botafogo - Urca - Humaitá) do Rio de Janeiro
 
 
 home / página incial
 siga o correio carioca no twitter
 correio carioca no facebook
 
Wanderley Cardoso

Entrevista publicada em abril de 2010 na Zona Norte.

Bom Rapaz, ícone da Jovem Guarda.
Confira bate-papo imperdível com Wanderley Cardoso, um dos grandes nomes do famoso movimento que transformou a juventude dos anos 1960. Cantor, com 40 anos de carreira, é intérprete de diversas músicas que até hoje fazem enorme sucesso O paulista Wanderley Conti Cardoso, hoje com 65 anos, é famoso pela sua carreira musical. Mas o versátil artista também participou de filmes nacionais e, na televisão, atuou em programa humorístico com Renato Aragão. Confira a entrevista.

Correio Carioca- Em que ano você começou sua carreira artística e como foi o início dela?
Wanderley Cardoso - Na verdade tive duas estreias. Comecei aos 13 anos num programa da TV Record de São Paulo chamado Gincana Kibon. Depois, por volta de 1963, participei do programa Alô Brotos, da TV Cultura de São Paulo, cantando músicas de Wilson Miranda, Carlos Gonzaga e Tony Campello. Eu cobria faltas, era "stand by".

Alguém serviu de inspiração no começo de sua vida artística?
Sim. Dos cantores estrangeiros eu me inspirava em Elvis Presley e Paul Anka e dos brasileiros eu me inspirava no Carlos Gonzaga, no Wilson Miranda e no Tony Campello.

Como era o movimento da Jovem Guarda?
A TV Record tirou do ar um programa esportivo e fez um programa para jovens que entrava no ar aos domingos. Aí começaram a aparecer os artistas que estavam estourando naquela época. Apareceram gírias, principalmente com o Erasmo Carlos. Eu fiquei pouco tempo, pois fui para a TV Excelsior fazer "Os Adoráveis Trapalhões". O patrocinador dos dois programas era o mesmo e me levou para lá.

Cite alguns fatos marcantes daquela época.
Era uma festa só, não havia rivalidade, o companheirismo era muito grande e nós viajávamos juntos, inclusive todo mundo cantava junto no final do programa. As meninas se rasgavam e jogavam as roupas no palco. Também era normal o público tentar rasgar as roupas dos artistas e puxar os cabelos. O programa começava às 15h e nós chegávamos às 9h. Havia inclusive batedores para nos levar ao hotel.

Quais foram suas músicas de maior sucesso?
Preste Atenção, Abraça-me Forte, Il Mondo (em italiano), Doce de Coco e O Bom Rapaz.

Nas apresentações de hoje são revividos apenas sucessos antigos ou você apresenta músicas novas?
Faço um pout-pourri com canções novas e antigas, também canto músicas de outros artistas, como Roberto e Erasmo, homenageando-os. Festa de Arromba é a música que sempre apresento no final.

Você já gravou discos em outros países?
Sim, em alguns países. Já gravei na Itália, na Espanha, em Portugal e em países da América.

Como foi a experiência de atuar no cinema nacional? De que filmes você participou?
Participei de quatro filmes. Na Onda do Iê Iê Iê, com Renato Aragão, Dedé Santana e Sílvio César; Amor em quatro Tempos, com Márcio Greik, Jerry Adriani e Paulo Sérgio; Pobre Príncipe Encantado; e outro filme que contou com a participação do Costinha.

Você fez parte do humorístico "Os Trapalhões". Como foi a experiência com o humor? Quem participava do programa na época?
Eu fui na onda do Renato Aragão, aprendi com ele. Participavam do programa, além do Renato, o Ivon Curi, o Ted Boy Marino e a Rosemary. A direção era do Wilton Franco e a redação do Renato Aragão.

Você continua gravando? Quer destacar algum lançamento?
Gravei um DVD intitulado "40 Anos de Sucesso do Bom Rapaz" e ele já está nas lojas. Também estou preparando dois lançamentos para o 2º semestre: a gravação de um disco em italiano e a minha biografia, escrita por Day Cardoso.

Como deve proceder quem quiser entrar em contato com o Wanderley Cardoso?
Pelo telefone (21) 9984-5385 ou pela Internet, através do e-mail wanderley@wanderleycardoso.com.br ou do site www.wanderleycardoso.com.br

Deixe uma mensagem para o leitor do Correio Carioca.
Agradeço ao público que me acompanha e me prestigia nesses 40 anos de sucesso.



 
 
« veja outras entrevistas
 
 
 
 
© Correio Carioca   -   Expediente   -   Política de Privacidade   -   Anuncie   -  Fale Conosco